fbpx
Menu Fechar

5 passos para manter a calma em alturas difíceis

Uma habilidade fundamental, necessária a todos os pais é saber como acalmar e regular as suas próprias emoções.

Não conseguimos  efetivamente ajudar os nossos filhos a manterem a calma quando é preciso, se nós não o conseguirmos fazer.
Quando os nossos filhos estão calmos e conectados, quando se sentem seguros e compreendidos, é menos provável que se “portem mal”.
Quando nós, mães, estamos calmas, é muito mais provável que consigamos ajudá-los a controlar os seus sentimentos e a orientá-los relativamente à gestão das suas emoções.

Queres ser uma mãe mais serena? 

Como podes trabalhar as tuas emoções para manter a calma em situações mais desafiantes?

1.OBSERVA OS TEUS PRÓPRIOS SENTIMENTOS, JULGAMENTOS E MEDOS.

Pensa numa situação específica que é desafiadora para ti. Talvez percas a calma com uma birra no supermercado, crianças aos gritos e a discutir, adolescentes que reviram os olhos, etc.
Nessas situações, os teus próprios pensamentos provocam-te medo ou raiva?

Em momentos dificeis e desafiadores, é fácil pensar:
“Não sou uma mãe boa mãe…” ou
“Ele esta a fazer de proposito para me tirar do sério…” ou
“Alguma coisa está errada comigo ou com o meu filho.”

Na verdade, o conflito faz parte de todos os relacionamentos humanos, e todos os pais sentem, às vezes, raiva dos seus filhos…
Mas quando permitimos que nossa raiva e medo sequestrem o nosso cérebro racional … os nossos filhos começam a se parecer-se com o inimigo. Nesses momentos. não vemos a perspectiva das crianças.

PROPOSTA :

Examina esses sentimentos e pensamentos mais profundos e regista num Journal/ Diário. Traz clareza aos teus pensamentos e sentimentos para que possas ver claramente o teu filho, sem medo e sem raiva a toldar-te a visão.

Regista e escreve sobre isso:

1. Nesta situação, do que tenho medo?
2. Estou com raiva de quê?
3. Que pensamentos estou a ter sobre meu filho agora?
4. Que pensamentos estou a ter sobre mim aqui?

2. CRIA UM MANTRA

O que podes dizer a ti mesma, que seja reconfortante e verdadeiro, para que possa criar dar uma nova maneira de te relacionares com essas situações … como um mantra ou um ditado gentil.

Aqui estão alguns exemplos:

1. “O melhor presente e o melhor investimento para meus filhos é o meu tempo”
2. “Esta é a coisa mais importante que farei o dia todo.”
3. “Os meus filhos amam-me e confiam em mim”

Escreve no teu diário um ou mais mantras que possas dizer a ti mesma durante (ou depois) de uma situação difícil.

3. SÊ EMPÁTICA E COMPASSIVA CONTIGO

Olha para ti mesma com empatia e compaixão. Depois de examinares os teus julgamentos / raiva / medo e dizeres o teu próprio mantra, será mais fácil teres empatia pelo que estás a passar.

1. Sê gentil contigo mesma – sentires autocompaixão é reconhecer que ser imperfeito e passar por dificuldades é inevitável, por isso, deves ser gentil contigo quando enfrentas dificuldades.
2. Sê humana – a autocompaixão implica reconhecer que as imperfeições, o fracasso, a vulnerabilidade e o sofrimento fazem parte da experiência humana e que todos a vivem, não sendo algo que acontece apenas a “mim”.
3. Mindfulness – a autocompaixão requer que adotemos uma postura mindful, ou seja, que pratiquemos um estado mental de não julgamento e de aceitação das nossas emoções e dos nossos pensamentos tal e qual como são, sem tentar reprimi-los nem exagerá-los.

Escreve no teu diário coisas simpáticas que podes dizer a ti mesmo sobre situações dificeis.

4. FOCA-TE NAS VITÓRIAS PESSOAIS

É tão fácil sentirmos sentimentos de culpa ou de fracasso. Na verdade, isso acontece porque o nosso cérebro está programado para se focar no negativo, por isso, é necessário focar intencional no que é positivo.
Em vez de te focares nos aspetos negativos pergunta-te 

“O que há de positivo nisto?”
“O que do bom poderá vir desta situação? 

Dedica um pouco de tempo todos os dias para registares tudo o que te correu certo e pelo qual és grata. Não será apenas algo para recordar nos dias difíceis, mas celebrar as coisas boas que acontecem, mesmo no caos, faz-no ser pessoas mais felizes.
Agradece e celebra por tudo o que és e fazes bem para que possas evoluir a partir dai. Aumentarás a tua confiança, a tua autoestima e capacidade de progresso.

5. TRANSFORMA OS TEUS PENSAMENTOS

A vida com crianças, especialmente crianças “fora da caixa”, pode ser muito desgastante. Pode parecer que está tudo fora de controle e nunca vai ser melhor. Pensamentos como estes deixam-te presa e não deixam espaço para mudar.
Os teus pensamentos afetam as tuas ações, que por sua vez afetam os teus resultados.
Troca os pensamentos negativos por aqueles que são mais fortalecedores e positivos e anota-os.

Por exemplo:

“Não sei por onde começar” transforma em:

“Posso dar apenas um pequeno passo.”
“Posso começar por fazer uma coisa diferente.”
“Posso começar com a coisa mais importante que tenho que fazer ”

Em vez de “sempre” ou “nunca”, troca por “ainda não”.

Estas trocas simples podem mudar a nossa visão, os nossos sentimentos, e as nossas ações e resultados.

Se quiseres subscreve a minha newsletter e recebe o Ebook com este tema –  Manter a calma em 5 passos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *