fbpx
Menu Fechar

As 5 linguagens de amor das crianças

Sabes qual é a linguagem preferencial de amor do teu filho? Se perguntassem aos teus filhos “Como sabes que os teus pais gostam de ti?” o que será que eles respondiam?

O que fazes que os teus filhos mais apreciam e que mais comunica o teu amor? É o tempo que lhes dedicas, os presentes que lhes dás, a força que lhes transmites, os abraços …. ?

É sobre isto que nos fala Gary Chapman no seu livro As 5 Linguagens do amor das crianças. Baseada no livro quero apresentar-te aqui as 5 diferentes linguagens que os nossos filhos privilegiam.

Para percebermos as necessidades de amor dos nossos filhos e identificar as linguagens de amor que privilegiam, teremos de ser um pouco de mães e pais detetives e ver para além do comportamento da criança.

No livro Gary Chapman fala do nosso tanque emocional. Todos nós temos um reservatório emocional que precisa ser recarregado e que nos alimenta e nos dá força nas alturas mais desafiantes. E os nossos filhos também. Esse tanque é carregado com o nosso amor incondicional. Aquele amor, de que já falamos, que aceita a criança pelo que é e não pelo que faz. 

Não importando o que faz, a criança sente que os pais continuam a amá-la. E quantas vezes as crianças sentem o nosso amor como condicional quando o baseamos em castigos e recompensas, mesmo que não seja essa a nossa intenção.

Cada criança tem uma linguagem de amor que melhor entende, vamos ter de saber qual é… 

1ª linguagem do amor das crianças – Toque físico

Há crianças que necessitam do toque físico, do abraço, do beijinho para encherem o seu tanque emocional O toque físico é a linguagem do amor mais facilmente usada de forma incondicional, em qualquer altura, sem nenhuma razão ….

Hoje percebemos a importância do toque físico nos bebés. Bebés com muito colo e muito carinho apresentam um desenvolvimento emocional mais saudável do que aqueles que ficam sozinhos por muito tempo. À medida que o bebe cresce e se torna mais ativo a sua necessidade de toque físico não diminui.

E rapazes e raparigas necessitam igualmente de toque físico, às vezes os rapazes à medida que vão crescendo apresentam mais resistência ao carinho, mas adoram as brincadeiras mais físicas, brincar às lutas, cócegas, jogos de contacto.

Há muitas formas de exprimir amor através do contacto : cócegas, festinhas do cabelo, massagem nos ombros. Para as crianças que privilegiam esta linguagem de amor o toque físico é mais expressivo do amor, enche mais o seu tanque emocional que o tempo de qualidade, presentes ou quaisquer palavras apesar de todas sempre importantes. 

2ª linguagem do amor das crianças – Tempo de qualidade.

Muitas crianças privilegiam esta linguagem para sentirem o amor dos pais. Sabemos que é o tempo de qualidade implica presença e conexão. E quando a criança não tem essa atenção e presença o seu tanque emocional fica vazio.

Quantas vezes dizemos que uma criança se porta mal porque quer chamar a atenção?

É isso que acontece, se não sentir o amor dos pais na sua atenção e presença, muitas vezes a criança recorre a formas menos adequadas de pedir atenção pois até a atenção negativa é melhor que nenhuma.

Tempo de qualidade é atenção concentrada e exclusiva. Um tempo de qualidade, com verdadeira presença transmite à criança “és importante para mim. Eu gosto de estar contigo, eu quero estar contigo.” Para estas crianças esta mensagem é fundamental.

O importante desse tempo de qualidade é o facto de fazer coisas em conjunto com eles e não para eles.

Os melhores tempos de qualidade ocorrem quando estamos a sós com os nossos filhos. Podem ser em família, mas uma atenção exclusiva dos pais é MELHOR.

Quando se tem mais do que um filho é indispensável garantir um tempo a sós com cada um.  

Se o tempo de qualidade for a principal linguagem do teu filho, se ele não tiver uma boa dose de atenção nunca sentirá o teu amor em pleno.

E não esquecer quando passamos bons momentos com os nossos filhos estamos a criar memórias que perduram a vida inteira.

3ª linguagem do amor das crianças – Palavras de afirmação.

As palavras são, meios poderosos de expressão de amor. Mesmo antes da criança perceber a palavra ela já entende a mensagem emocional. A manifestação de afeto e de amor pode sentir-se pelo tom de voz e pela forma como se fala com o bebé, por ex.

Há crianças para quem uma palavra de apreço, de afeto, de reconhecimento, de valorização é a melhor forma de carregar o seu tanque emocional.

Para uma criança com esta linguagem preferencial nada é mais importante para se sentirem amadas do que ouvirem os pais dizer isso exatamente.

As palavras de encorajamento, são essenciais em processos de aprendizagem, Não desistas, tu consegues e parabéns pelo teu esforço…  dão à criança uma sensação de segurança, apoio e acolhimento que lhes transmite o amor dos pais e assim sente mais coragem e motivação.

As palavras de encorajamento são mais eficazes quando se focam em esforços específicos dos nossos filhos.

Quando a linguagem preferencial de amor dos nossos filhos são as palavras de afirmação é também importante percebermos que a um “gosto muito de ti” nunca deverá estar associado uma condição-

Para uma criança com esta linguagem preferencial é esta, palavras de julgamento ou critica constante são muito duras e magoam imenso, mais do que a outras crianças.

Por isso, se achares que tens um padrão de comunicação muito negativo para com o teu filho, repensa a tua forma de exprimir o teu amor.

4ª linguagem do amor das crianças – Presentes

 O ato de dar e receber pode ser uma forte expressão de amor. Os presentes mais significativos tornam-se verdadeiros símbolos de amor. Para as crianças que gostam muito desta linguagem de amor, os pais, tem de ter a preocupação de não descurar as outras linguagens e manter o tanque emocional da criança cheio através das outras linguagens e desta forma o presente significar amor sincero.

A maioria das crianças, reage positivamente ao receber presentes, mas para algumas a sua linguagem privilegiada de amor é recebê-los. E essas crianças reagem mesmo de forma diferente e com grande entusiasmo. Os presentes são para eles extensão do amor dos pais, gostam muito de exibir os seus presentes com orgulho e dizem várias vezes aos pais como gostaram do presente.

Quando oferecemos presentes aos nossos filhos, devemos ter cuidado com a mensagem que passamos. É o presente sincero e entendido dessa forma pela criança, como um ato de amor,  é o presente sincero mas não é entendido dessa forma pois a criança tem o tanque emocional vazio e sente o presente como condicional em função do seu comportamento, ou é o presente apenas recompensa ou forma de pagamento porque a criança se comportou de determinada forma, ou como forma de manipulação de comportamentos. Nunca usar os presentes como forma de suborno

O encanto de presentear tem muito pouco a ver com o tamanho ou preço, tem a ver com amor. Podemos transformar presentes comuns em expressões de amor.

É preciso, no entanto ter cuidado com o exagero. Muitas vezes os pais recorrem aos presentes em substituição de outras linguagens de amor, como por ex. o tempo de qualidade. E as vezes a criança até pode entender o presente como substituto de amor sincero.

O excesso de presentes, como acontece no caso do excesso de brinquedos por ex.  faz também com que a criança não só não os valorize, como nem tira partido nem consegue usufruir dos brinquedos que tem. O ato de dar um presente perde o seu significado, é apenas mais um.

5ª linguagem do amor das crianças – Atos de serviço.

Para algumas crianças esta é a sua linguagem de amor preferencial. O amor é sentido de forma particular quando fazem coisas para elas e por elas.

Pode ser o ajudar com o trabalho de casa, se a criança tiver necessidade (não por sistema), o fazer um bolo para o lanche da criança, preparar uma refeição que os nossos filhos gostam muito, arranjar um brinquedo, dar boleia para o treino ou outra atividade… Os atos de serviço serão adequados à idade da criança.

Para quem pratica atos de serviço o importante não é fazer apenas o que agrada à criança, mas sim responder às suas necessidades emocionais.

Propósito fundamental dos atos de serviço é ajudar os nossos filhos a tornarem-se adultos maduros, também capazes de exprimir o seu amor pelos outros mediante essa linguagem de amor. É servir os nossos filhos e quando estes estiverem prontos ensinar-lhes como servir a si mesmo e aos outros.

Educamos pelo exemplo. Os nossos filhos precisam ver em nós as caraterísticas que nós queremos ver neles.

Os atos de serviço que expressam amor verdadeiro são comunicados a um nível emocional. Quando a criança a nos pede ajuda em algo por ex. não está só a pedir a execução de uma tarefa, mas o nosso envolvimento e atenção.  Quando reconhecemos e reagimos a esses pedidos de uma forma carinhosa, amorosa, positiva estamos a encher o tanque emocional dos nossos filhos.

Servir com amor é um desejo pessoal de usar a nossa energia a favor dos outros, em prol dos outros. Se a atitude não for essa a criança percebe e os atos de serviço não transmitem amor.

Mas manter o tanque emocional dos nossos filhos cheios com atos de serviço, requer para nós pais, rotinas equilibradas de sono, alimentação e exercício físico, bem como um nível de autoconhecimento, que nos permita conhecer os nossos limites e não descurar as nossas próprias necessidades.

Em resumo, podemos dizer que falar as linguagens de amor das crianças ajuda-as a sentirem-se amadas.

E ao se sentirem amadas, ao terem o seu tanque emocional cheio mais facilmente desenvolvem de forma saudável a sua auto estima e criam uma relação mais próxima com os pais. Quando falamos as 5 linguagens de amor, e em particular a sua preferencial, estamos a ensinar a criança formas de exprimir o seu amor pelos outros através dessas linguagens.

Com crianças muito pequenas precisamos de falar todas as linguagens, mas à medida que vão crescendo vamos percebendo a pouco e pouco qual a linguagem preferencial. A que eles preferem e que, quando usada negativamente, causa maior dor. De referir, no entanto, que a linguagem de amor não é estática, as crianças também passam por diferentes fases.

Como perceber qual a linguagem de amor preferencial dos nossos filhos?

  1. Observar como é que a criança exprime o seu amor por nós – principalmente as crianças mais novas exprimem amor da maneira que mais gostam de receber.
  2. Observar como a criança exprime amor pelos outros, como por ex. outras pessoas da família ou a professora.
  3. Prestar atenção à forma como a criança pede atenção: por ex. Mãe olha para o que estou a fazer (pedindo atenção e tempo), Mãe o meu desenho está bonito? Pedindo palavras de afirmação
  4. Da mesma forma, observar o que diz quando reclama e se essas reclamações são frequentes: Não passas tempo comigo…
  5. Dar 2 opções – Amanhã saio mais cedo, vamos fazer um bolo juntas ou preferes ir caminhar (ato de serviço ou tempo de qualidade). O que queres no teu aniversário: um jogo novo ou um passeio em conjunto?

Esta observação tem de ser feita durante algum tempo, mesmo algumas semanas para conseguirmos tirar conclusões e observar os padrões.

Há um jogo engraçado que podemos fazer com os miúdos mais novos :  Eu gosto de ti porque …. Também nos dá alguma informação 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *