fbpx
Menu Fechar

O Igual valor – valor base das relações humanas

Na Parentalidade Consciente há 4 valores base que, penso, serem valores base para a vida harmoniosa em família, e também, acredito, valores base das relações humanas.

IGUAL VALOR, RESPEITO PELA INTEGRIDADE, AUTENTICIDADE, RESPONSABILIDADE PESSOAL

Hoje quero falar-te do igual valor.

Quando se fala em IGUAL VALOR, fala-se de equivalência na relação. Numa relação, seja com adultos ou crianças, temos o mesmo respeito pelo valor de ambas as partes e pela integridade de ambos.

O que é que isto quer dizer? Quer dizer que os nossos desejos, as nossas opiniões, os nossos pensamentos, as nossas necessidades e as nossas emoções tem a mesma importância e o mesmo valor. Uns e outros, de uns e de outros.
As tuas opiniões, as tuas necessidades, os teus desejos e as tuas emoções não têm mais valor do que os do teu filho (nem ao contrário!). 

Permissividade ?

É importante perceber bem este conceito. Numa parentalidade mais tradicional, até autoritária estabelecemos uma hierarquia onde nós, pais, mandamos e a criança obedece.
Neste caso, a vontade dos pais, sobrepõem-se à vontade dos filhos. Aqui não estamos de todo a praticar o IGUAL VALOR.
Mas ao contrário, também não, isto é, quando a vontade da criança se sobrepõe à vontade do adulto também não estamos a praticar o IGUAL VALOR.

A  prática da parentalidade consciente não é permissiva, não quer dizer que a criança tem e faz “tudo o que quer”, é, sim respeitadora da integridade da criança, defendendo que a criança deve ser respeitada da mesma forma que um adulto.

Promover uma AUTO ESTIMA saudavel nas crianças:

De uma forma geral, o valor que sentimos que temos numa relação é fundamental para a existência de um relacionamento saudável.
Queremos e gostamos de nos sentirmos valorizados pelo outro.

Então para a criança, o valor que esta sente que tem na relação, é fundamental para desenvolvimento de uma autoestima saudável. A criança necessita sentir-se valorizada. Necessita sentir que valorizamos as suas opiniões, as suas necessidades e que as respeitamos, mesmo que não concordemos com elas.  

Até já!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *